Mais Centro

Qualidade da água

A Câmara Municipal de Montemor-o-Velho tem sempre presente a necessidade de garantir o reconhecimento dos elevados padrões de qualidade da água que é fornecida aos seus munícipes.

O padrão de qualidade da água destinada ao consumo humano define-se por um conjunto de caraterísticas (parâmetros e respetivos valores paramétricos) fixadas na legislação nacional e europeia com base nas orientações da Organização Mundial de Saúde, nos conhecimentos científicos e no princípio da precaução, podendo esta água ser consumida com segurança.

A água da rede pública é sujeita a um exigente e rigoroso controlo da qualidade definido na legislação. Para tal, a Entidade gestora dos serviços conta com os serviços de um laboratório de análises, reconhecido formalmente da sua competência para a realização de ensaios pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC), assegurado pela implementação de um sistema da garantia da qualidade e auditado regularmente por equipas de auditores/avaliadores devidamente credenciados.

O laboratório faz igualmente parte da lista de laboratórios aptos no âmbito do Decreto-lei nº 306/2007, de 27 de Agosto, emitida pela entidade reguladora (ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos).

A acreditação das colheitas e de todos os métodos de ensaios realizados pelo laboratório é condição essencial para credibilizar, reconhecer a competência técnica e conferir transparência a todo o processo de avaliação do controlo de qualidade das águas analisadas, garantido que atuamos sempre em concordância de modo a proteger a Saúde Humana.

Nesse sentido, a conformidade legal da qualidade da água na torneira dos consumidores é verificada regularmente, de acordo com um Programa de Controlo de Qualidade de Água (PCQA) e Plano de Controlo Operacional (PCO) aprovado anualmente pela ERSAR. No PCQA são definidos o número de análises a realizar ao longo do ano seguinte a cerca de 50 parâmetros relativos às caraterísticas organoléticas (cheiro, sabor, cor e turvação), químicas e biológicas da água, atendendo aos valores-limite especificados na legislação.

A implementação do PCQA aprovado, bem como o controlo suplementar que as entidades gestoras realizam no sistema de tratamento e ao longo da rede de distribuição da água, são sujeitos a ações de fiscalização por parte da ERSAR.

A avaliação dos resultados obtidos na implementação do PCQA aprovado, que permitem avaliar o grau de cumprimento das normas de qualidade de água para consumo humano, são divulgados ao público tanto pelas entidades gestoras como pela ERSAR.

Para conhecer a qualidade da água que abastece a sua zona, pode consultar a publicitação trimestral efetuada obrigatoriamente pelas entidades gestoras.

Pode consultar a qualidade da água (referente ao ano de 2019) aqui.

ABMG - Águas do Baixo Mondego e Gândara, EIM, SA

A ABMG - Águas do Baixo Mondego e Gândara, E.I.M., S.A. é uma empresa intermunicipal constituída pelos Munícipios de Mira, Montemor-o-Velho e Soure, que, a partir de 15 de janeiro de 2020, é a entidade gestora responsável pela exploração dos sistemas públicos de água e de saneamento de águas residuais destes três Municípios.

Esta empresa intermunicipal visa garantir a excelência no serviço prestado e na qualidade da água, tendo como missão assegurar o abastecimento de água e o saneamento de águas residuais, aumentar a produção própria de água, assegurar a sustentabilidade ambiental, diminuir as perdas e a importação da água.

É intenção do Município de Montemor-o-Velho e da ABMG que esta mudança seja totalmente impercetível para o munícipe e utilizador dos sistemas, pelo que esta alteração na entidade gestora não terá qualquer impacto na continuidade do serviço de abastecimento e/ou recolha de águas residuais.

 

No Município de Montemor-o-Velho manter-se-ão, para já, os locais de atendimento situados no Espaço do Cidadão dos Paços do Concelho e respetivo Serviço de Águas existente nesta Câmara Municipal.

Para qualquer informação adicional, poderá contactar o Município pelos canais habituais ou a ABMG, através do site www.abmg.pt ou do endereço eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

 

 

 

Abastecimento de água

Relativamente à água para consumo humano, pode consultar informação sobre a qualidade da água, através dos editais da qualidade da água provida nos mesmos.
 
Encontra ainda variada informação relativa aos vários sistemas de abastecimento.

Feira do Ano 2019

Com vista para o castelo, o largo da Feira, local icónico da comemoração do Dia de Nossa Senhora da Vitória, desde há longos anos associado à feira do ano, da roupa velha, das cebolas, da fruta e do cavalo volta a receber mais uma edição da Feira do Ano – Festas Concelhias e a transformar-se numa gigantesca e acolhedora sala de visitas do concelho.

 

Este é, sem dúvida, o evento mais marcante do ano no concelho de Montemor-o-Velho e, em 2019, a Feira de Ano continua a surpreender, a inovar e a afirmar-se.

 

Com um vasto programa de animação pensado para todas as idades, a Feira do Ano vai continuar a afirmar a economia local, as tradições e a cultura do concelho de Montemor-o-Velho e da região do Baixo Mondego.

 

De 7 a 15 de setembro, valorizamos o que é nosso e contamos consigo!

As entradas são livres.

 

 

Este ano andamos na boca do mundo (pelos motivos mais doces!) e abrimos esta grande festa com a tentadora gala finalíssima das 7 Maravilhas Doces de Portugal.

Vamos provar que Montemor-o-Velho é, definitivamente, um concelho doce não apenas na Gala das 7 Maravilhas mas também na nossa tenda da doçaria regional, onde as tentações não têm fim.

A animação volta a marcar a Feira do Ano de 2019 com os espetáculos de artistas nacionais a atraírem novos públicos. Fernando Daniel (dia 11, quarta-feira), Cuca Roseta (dia 14, sábado), Profjam e SippinPurpp (dia 12), José Cid (dia 13, sexta-feira), Sara Santini e Sangre Ibérico vão fazer o (muito) público dançar.

O último domingo, dia 15, é o dia da família com um convidado muito especial que vai fazer as delícias dos mais pequenos. O Ruca vem a Montemor-o-Velho fazer um rockshow com muitas travessuras!

Esta é uma festa que quer manter e reforçar o seu cunho de identidade local, por isso, as freguesias continuam a ter um papel preponderante na animação, com as filarmónicas, os diversos grupos locais etnográficos e de dança a mostrarem todo o seu valor e a conquistarem cada vez mais público. Prova disso será o espetáculo da Filarmónica (FIRA) que vai ao fado com António Pinto Basto (dia 10, terça-feira). Também os nossos Baluarte (dia 9) e Mickael Salgado (dia 8) sobem ao palco principal para espetáculos que prometem encantar.

Esta forte ligação às raízes continua e a “prata da casa” promete mexer com a dinâmica concelhia e unir ainda mais a população, consolidando o sentimento de pertença a Montemor-o-Velho.

 

 

MOSTRA DE ATIVIDADES

Cerca de duas centenas de stands vão mostrar o que de melhor se faz nas áreas institucional, artesanato concelhio, comércio, indústria e serviços, agrícola e automóvel, doçaria, café, tasquinhas e rural.

 

 

GASTRONOMIA

Montemor-o-Velho volta a juntar à mesa os sabores do campo e do rio. Uma viagem pela cultura gastronómica do concelho que promete emoções fortes nas nossas tasquinhas. Mais uma vez o tecido associativo foi desafiado a dinamizar o espaço gastronómico e respondeu com garra e ementas de deixar água na boca.

Neste concelho forte em doces, o difícil vai ser escolher entre os tentadores pastéis de Tentúgal, as deliciosas queijadas de Pereira, as pinhas de Montemor caramelizadas ou o arroz doce, ainda quente, feito com arroz carolino do Baixo Mondego, entre tantas outras provocações.

 

 

FEIRA DO ANO, FEIRA DA ROUPA VELHA & FEIRA DAS CEBOLAS

Realizadas tradicionalmente a 8 de setembro, dia do Município, a feira do ano, da roupa velha e das cebolas caracterizam, desde sempre, as Festas do concelho.

Elas são a nota mais viva, o índice mais seguro do quotidiano de um povo. De existência bem recuada no tempo e de extrema importância para a vida do Concelho, a Feira Anual teve a sua origem, provavelmente, na festa que se realizava no Hospital de Nossa Senhora de Campos e que envolvia toda a população da Vila. Foi o Infante D. Pedro, seu senhor, que solicitou a licença para a criação da feira franca em Montemor. Aparece como feira franca numa provisão régia de 5 de julho de 1453, sendo a sua origem muito anterior a este tempo.

Nesta feira podemos encontrar os mais variados produtos, desde cereais, legumes e outros alimentos, até roupa, artigos para o lar, móveis e ferramentas agrícolas.

No mesmo dia, realiza-se a Feira das Cebolas que ganhou já um estatuto próprio na região. A Montemor-o-Velho acorre gente de todo o país para um dia em que são vendidas várias toneladas de cebolas.

Paralelamente, decorre ainda a Feira da Roupa Velha, ou dos farrapos, onde são vendidas roupas em segunda mão, não só pela população local, mas também por pessoas de toda a região.

 

 

PROGRAMA

Saber...